20/04/2015

20 de abril: Aniversário do Barão do Rio Branco

No dia 20 de abril, comemoramos o aniversário do Barão do Rio Branco (1845-,1912) patrono da diplomacia brasileira. Mas você sabe quem foi José Maria da Silva Paranhos Júnior?


A Fundação Alexandre de Gusmão tem várias publicações interessantes sobre a vida e obra de Rio Branco. Selecionei abaixo algumas delas. Gostaria de transcrever parte do "Livro na Rua nº 2", de autoria de M. P. Haickel, que pode ser lido na íntegra clicando AQUI.


"José Maria da Silva Paranhos Júnior, o BARÃO DO RIO BRANCO, nasceu no Rio de Janeiro no dia 20 de abril de 1845, filho de José Maria da Silva Paranhos e de Teresa de Figueiredo Faria. Advogado, político, jornalista e diplomata, ele foi responsável pela consolidação das atuais fronteiras do Brasil, no início do século XX, conquistando, através da diplomacia, a garantia de um território equivalente a 900 mil quilômetros quadrados, sem disparar um só tiro. Grande parte do mapa brasileiro foi riscado pela caneta do diplomata. A solução de todos os problemas fronteiriços brasileiros ainda no início do século XX foi uma grande vantagem legada às futuras gerações do Brasil e da América do Sul. (...)

Nosso país continental, numa linha que percorre 15.600 km, limita seu território com todas as nações sul-americanas à exceção do Chile e do Equador. E, no entanto, não enfrentamos conflitos fronteiriços com quaisquer desses países. Graças à diplomacia de Rio Branco, portanto, nossa Política Externa se viu liberada desses entraves, ganhando desenvoltura para tratar de outras questões. Hoje, a América do Sul como um todo se beneficia da inexistência de conflitos dessa natureza com o maior país do continente proporcionando, entre outros, um caminho menos obstaculizado rumo à integração regional.

Mais velho de nove filhos, teve no pai, notável homem do Segundo Império, Deputado, Plenipotenciário brasileiro no Uruguai, Ministro da Marinha e dos Negócios Estrangeiros, Senador e Primeiro Ministro, Visconde do Rio Branco, sua maior inspiração. Uma das figuras mais importantes do Brasil Imperial, José Paranhos (pai) negociou o fim da Guerra do Paraguai em 1869 e, dois anos mais tarde, foi nomeado Presidente do Conselho de Ministros. Promulgou a Lei do Ventre Livre, que dava liberdade aos fi lhos de escravos. Na adolescência, Juca (como era conhecido o futuro Barão do Rio Branco)  acompanhava o Visconde em suas missões ao Sul do Brasil, onde já demonstrava interesse pelas questões fronteiriças, tão comuns à época. (...)

O Barão do Rio Branco foi o estadista que mais tempo exerceu o cargo de Ministro do Exterior, servindo a quatro governos da República ininterruptamente, sendo considerado um patrimônio nacional. Além da solução dos problemas de fronteiras, Rio Branco lançou as bases de uma nova política internacional, adaptada às necessidades do Brasil moderno. Nesse sentido, foi um devotado pan-americanista, preparando o terreno para uma aproximação mais estreita com as repúblicas hispano-americanas e acentuando a tradição de amizade e cooperação com os Estados Unidos da América."


 

 
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!