05/04/2015

Dica (ou não) de Livro: Viajante Chic



Ganhei esse livro em 2012. Trata-se de "Viajante Chic: Dicas de Viagem", da Gloria Kalil. Sinceramente, não sou muito fã da Kalil (não vou me estender nesse comentário), mas o livro é bem curtinho e tem listas de documentos, roupas e apetrechos que você não pode deixar de levar em uma viagem de férias. Eu uso às vezes como uma to-do-list para não me esquecer de colocar na mala ou de me preparar. Se você não tem costume de viajar, acho uma ótima pedida para dar um primeiro passo rumo ao mundo. Mas se você já está habituado, acho desnecessário.

Clique AQUI para comprar o livro no Amazon. Ficou curioso, mas não sabe se vale a pena levar pra casa? Olha AQUI um trecho dele. Não quer clicar no link? Facilito ainda mais sua vida: famoso ctrl +c trl +v. Mas já adianto: discordo de muita coisa que ela fala, vou grifá-las e depois farei um post sobre o assunto. 

18 Dicas de Viagem por Gloria Kalil

1. Não há nada mais esnobe do que querer parecer "insider" de um país ou de uma cidade estrangeira. "A menos que a pessoa more lá, ou, pelo menos, tenha uma casa ou apartamento na tal cidade, o que ela vai ser sempre é uma turista". Ela explica que muita gente acha mais chic dizer que são viajadas e dominam o lugar. E aconselha a todos que não deixem de visitar pontos turísticos clássicos para não se "misturarem aos "novos viajantes".

2. Escolha a data certa para a viagem. Pesquise sobre o clima, se é época de chuva, frio, calor, furacão, se na época da viagem haverá alguma festa típica no local e, aos que gostam de tranquilidade (e economia) viajar na baixa temporada (de março e maio e de agosto a novembro) é uma ótima pedida. 

3. Não deixe de ir ao mercado municipal do destino que estiver visitando. Segundo a autora, "não há jeito melhor de conhecer um lugar do que ver o que as pessoas comem". 

4. Preste atenção aos hábitos culturais do lugar que será visitado. A siesta na Espanha, o shabat em Israel e o tipo de roupa utilizada em igrejas, templos e mesquitas estão entre algumas situações que podem surpreender o turista menos informado. Cuidado também com o idioma: português e espanhol são línguas muito parecidas e muitos podem entender. A autora lembra que fazer piadas sobre palavras que são iguais, mas têm o significado diferente, não pega bem. 

5. Não improvise com um idioma que você não domina quando tiver que conversar com algum policial federal ou autoridade, pois pode causar mal entendidos. Mostre seus documentos e em último caso peça um tradutor. Aos adolescentes, o recado é ainda mais específico: "os policiais da imigração e alfândega não são seus pais. Não tentem enganá-los ou se fazer de engraçadinhos". 

6. Com as facilidades da internet para comprar passagens e fazer reservas de hotéis, todos podem organizar suas viagens sem depender de um agente, contanto que você tenha tempo e paciência para calcular os gastos e fazer todo o planejamento. Escolha os pacotes turísticos para ficar mais seguro, já que nesses casos o turista poderá contar com alguém para buscar no aeroporto, levar para os passeios e recorrer caso haja algum problema. 

7. Façam um exame de consciência antes de fechar uma excursão. Essa é uma modalidade de viagem que pode ser interessante já que o preço do pacote inclui tudo, é inteiramente guiada por profissionais e tem uma programação fechada. 

8. Quanto aos guias de turismo: vale a pena. Os guias fazem os turistas verem coisas que talvez nem seriam observadas caso não houvesse alguém para mostrar. Os guias também são essenciais para levar os viajantes para os passeios sem dar chance para que se percam no caminho e ajudar a decifrar as placas - principalmente se estiver em um país exótico.

9. Para escolher um hotel, pousada ou resort, é necessário que se preste mais atenção em outros detalhes além do preço. A dica é pesquisar e checar pelo menos quatro itens essenciais: localização (se fica próximo ou afastado das principais atrações e o que tem na região), limpeza, segurança (checar se tem cofre, por exemplo), o que está incluso e o que tem nos quartos. 

10. Leve todos os medicamentos que costuma tomar mesmo que esporadicamente por precaução, já que comprar em outra cidade, estado ou país pode ser complicado - seja pela barreira da língua ou mesmo por não encontrar.

11. Viajar com a família exige um planejamento mais apurado. Procure locais que ofereçam atividades compatíveis com a idade de todos (filhos pequenos, adolescentes e parentes mais velhos)

12. Viagens feitas com o seu par e uma amiga. Essa combinação pode dar certo, contanto que se combinem algumas coisas antes - entre elas, a que parece dar mais dor de cabeça é a divisão de contas a pagar. 

13. Viajar com amigos é sempre divertido, mas sempre pode gerar mal entendidos e desencontros. Evite combinar compromissos demais ou marcar programas que façam com que uns tenham que esperar os outros. Ninguém deve abrir mão da privacidade e se engana quem pensa que tem que fazer tudo com os companheiros de viagem.

14. No que diz respeito a viagens a trabalho, Gloria Kalil reprova aqueles que gastam além da conta porque a empresa vai arcar com as despesas e aproveita para ressaltar a importância de dar gorjetas para garçons e camareiras. Segundo ela, "não é porque você está em serviço e a empresa está pagando sua estada que você deixa de dar gorjetas".

15. Em relação a etiqueta e comportamentos inadequados. Sobre bagagem: não seja espaçoso. A dica é tomar cuidado para não ocupar todo o bagageiro com suas bolsas e pacotes nem espalhar suas malas pelo chão ou no pé do vizinho de poltrona. Um de seus mandamentos é: "trate sua mochila como um passageiro a mais". 

16. Conviver com os vizinhos de poltronas pode ser problemático. Entre as atitudes consideradas inconvenientes, estão: falar demais e ligar equipamentos ruidosos e luminosos. 

17. Entre as reclamações mais frequentes de quem viaja de avião é a bagunça que as crianças fazem durante o voo. Para não incomodar os outros passageiros com seus filhos, Gloria Kalil aconselha o leitor a impedir que a criança fique chutando a poltrona da frente e sugere que tente distraí-lo com joguinhos e livros. 

18. Para os casais: não deixem de visitar os pontos turísticos do destino só porque estão curtindo a lua de mel. Para ela, é vergonhoso, por exemplo, ir a Roma e não conhecer o Coliseu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!