01/08/2015

Meu namorado/minha namorada quer ser diplomata, e agora?

Nota inicial: Vou escrever tudo no masculino, pois nossa língua não tem a opção de gênero neutro ou dativo, mas queria dizer que estou torcendo muito para termos mais mulheres na carreira diplomática! 

Sua namorada/esposa/companheira/respectiva ou seu namorado/marido/companheiro/respectivo decidiu prestar o concurso de admissão à carreira diplomática (CACD)? Então este post é para você.
Neste final de semana, teremos a primeira prova de mais uma edição do concurso e estou inspirada para falar no assunto, pois já estive dos dois lados: meu namorado (agora marido) estudou para o CACD durante três anos e eu também estudei. Pois bem, não vai ser um período fácil. Então, respire fundo e vista a camisa! Não literalmente, como os dois da foto abaixo. Só quis mesmo ilustrar o post. E, sim, as camisas existem. Sim, elas estão à venda em páginas na internet. Ok, vou passar os links:  I love my diplomat presentes e keep calm and love diplomats presentes. Nunca comprei nesses sites, então não sei se são de confiança. Se comprarem, me contem.



Bem, como qualquer concurso público, o CACD exige muita dedicação e estudo. Seu respectivo vai precisar passar muito tempo em cursinhos, bibliotecas, em casa, se preparando para a bateria de provas. Se você quer ajudá-lo nesse processo e evitar brigas desnecessárias ou desentendimentos, leia este post que preparei com carinho, em formato de passo-a-passo, pois achei que assim ficaria mais fácil de organizar as ideias. 

Primeiro passo
Acho que a primeira coisa que devemos fazer é entender que ninguém escolhe essa carreira ao acaso, geralmente a pessoa se interessa por política internacional, idiomas ou viagens. Tente conversar e entender os motivos que o levaram a escolher essa profissão. Você pode se surpreender. Já ouvi histórias bem interessantes.

Segundo passo
Entenda que existe um grande comprometimento financeiro durante a preparação para o concurso. Os gastos com cursinho, professores particulares, livros e apostilas não são poucos. Dependendo da situação financeira dele ou do casal, algumas concessões em algum momento precisarão ser feitas. Esteja preparado caso isso seja necessário.

Terceiro passo
Muitas vezes, seu respectivo não vai querer sair de casa no final de semana para ficar estudando. Isso é normal quando a pessoa já está em um bom ritmo de estudos. Talvez assistir a um filme/documentário relacionado com o concurso em casa (com vinho, pipoca e tudo que tiver direito) possa ser uma forma de relaxarem juntos e não perder o pique. 

Quanto mais a pessoa estuda, mais informação ela adquire e percebe que precisa estudar mais. Pode parecer meio exagerado às vezes, mas estudar Língua Portuguesa, História do Brasil, História Mundial, Geografia, Política Internacional, Língua Inglesa, Língua Espanhola, Língua Francesa, Noções de Economia; Noções de Direito Interno e Internacional Público para o CACD não é nem um pouco parecido com estudar essas disciplinas no Ensino Médio ou para o vestibular. Não acredita? NESTE LINK você poderá ver as provas de anos anteriores e constatar por si mesmo.

Quarto passo
Quando estamos estudando muito para um concurso, acabamos vivendo dentro do mundo daquelas disciplinas. Respiramos isso e até sonhamos com isso. É bom ter com quem conversar sobre o que estamos aprendendo/estudando. Se você tem horror a essas matérias, faça um pequeno esforço para se inteirar de algum assunto relativo ao concurso, para vocês poderem trocar ideias. Se você gosta dos assuntos, então, ótimo! 

Quinto passo
Demonstre seu apoio de alguma forma, em alguns momentos quem está estudando pode se sentir desmotivado. Se você também está estudando para concursos, tente estudarem no mesmo ambiente algumas vezes. Ter alguém ao lado, ás vezes ajuda. Se não está, dê apoio moral. 

Algo que também legal é presentear seu respectivo com algo relacionado ao CACD, para mostrar que você se importa. Quer exemplos? Acho super legais os produtos de Athos Bulcão, com o desenho da parede do Instituto Rio Branco, onde é o curso de formação dos diplomatas  (links: ecobagcaneca, mousepad ou outros produtos). Se seu respectivo não tem, a "História da Política Exterior Brasileira", do Amado Cervo e Clodoaldo Bueno é uma boa pedida. Na FUNAG (Link) tem livros para download gratuito e para comprar. 

Sexto passo
Paciência. Paciência. Paciência. A preparação pode levar meses e até anos. As pessoas tendem a ficar ansiosas e nervosas. É assim mesmo. Fazer uma caminhada, sair para uma pizza, ir ao cinema, faz bem. Quando o clima ficar tenso, façam algo relaxante. 

Sétimo e último passo
A realidade: seu respectivo pode ou não ser aprovado. Pode ou não mudar de ideia e ir fazer outra coisa. Muitos dos meus colegas de cursinho desistiram. Outros, tentaram até sete vezes e passaram. Outros ainda, continuam tentando. Seja qual for o caso, um vai precisar do apoio do outro. Isso é essencial em todas as fases. 

Boa sorte! 

Tenho dois posts sobre o concurso que podem ajudá-lo a entender melhor como o CACD funciona: 

Dicas para quem quer começar a estudar para o CACD:

Programa de Ação Afirmativa - Bolsa de Estudos



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!