04/09/2015

Desafio: compras no supermercado no exterior

Primeiramente, gostaria de agradecer à minha amiga Carolina, que gentilmente cedeu fotos que ela tirou em Nouakchott, Mauritânia, enquanto servia na cidade. 


Um dos desafios dos primeiros dias em uma país novo é fazer compras no mercado. Se você não conhece o idioma, tudo fica muito mais difícil. E mesmo conhecendo, geralmente, as marcas às quais somos habituados são mais caras do que as marcas locais. E também nada garante que os alimentos típicos do paladar brasileiro estarão à venda naquele país. Frutas então...

Quando me mudei para Montevidéu em 2008, eu falava um pouco de espanhol, mas não muito. Nas minhas primeiras idas às compras cometi vários erros primários. Na padaria, pedi presunto - que significa morto ("dead" mesmo) em espanhol, o correto seria ramón - e ficaram me olhando esquisito. Eu vi algumas pessoas comendo empanadas, que são um tipo de pastelzinho assado e quis comprar os ingredientes para fazer em casa. Perguntei onde tinha massa para pastel. Só que pastel em espanhol é bolo. Obviamente achei muito estanho eles me entregarem pó/farinha para fazer bolo. Ah, e o tal pó, se chamava polvo - e não, não é marisco. O polvo (aquele animal aquático) se chama pulpo em espanhol. Já a polpa para suco, se chama pulpa. Imagine a minha confusão nos primeiros dias.

Mas a pior compra de todas foi quando fiquei doente. Fui à farmácia e pedi soro fisiológico (falei em português mesmo) e ninguém me entendia. Gesticulei, tentei explicar que era para nebulização, para tratar a asma, e nada. Os funcionários da farmácia se reuniram para tentar me ajudar, mas ninguém entendia o que eu queria. Até que uma bendita alma que estava fazendo compras me ouviu e falou mais ou menos assim: "ah, suero fisiologico para el asma". Pronto, estava resolvido meu problema. Parece surreal, mas foi assim mesmo. Pior, foi a Paty, minha amiga, que pediu uma água em uma lanchonete. Água mesmo, pronunciado normalmente em português. Não entenderam. Aí ela apontou para a garrafa de água e disseram: "el agua".

Estamos falando de uma país com fronteiras com o Brasil e com idioma latino. Agora imaginem vocês quem se muda para uma país distante com língua completamente diferente como por exemplo chinês, árabe, russo, japonês, alemão, etc., e não tem domínio do idioma. É no dia a dia que os grandes desafios da vida de quem se mudou de país aparecem. Em um próximo post, vou contar histórias de consultas médicas... mas enquanto isso, fiquem com as fotos da Carol. Vocês reconhecem as marcas?


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!