17/11/2015

Dicas de Estudo - Entrevista com Bruno Quadros e Quadros

Hoje entrevistaremos o diplomata Bruno Quadros e Quadros, que além de se dedicar ao serviço exterior, é numismata, enólogo, vexilólogo e grande conhecedor de história e política externa russas, tendo seu trabalho nessa seara sido reconhecido e premiado pela Federação Russa. Bruno já morou em Curitiba, Foz do Iguaçu e Brasília. Na carreira diplomática, realizou missões na Líbia e na Guiné Equatorial, ambas em 2014, para ser Encarregado de Negócios do Brasil junto àqueles países. Esteve também no Senegal, em 2015, para auxiliar nos preparativos da visita do Ministro Mauro Vieira àquele país africano. Fala português, castelhano, francês. inglês e russo.

Bruno Quadros e Quadros é também o autor de cadernos temáticos que ajudam na preparação para o concurso de admissão à carreira de diplomata (CACD).

Bruno, conte-nos um pouco sobre a sua formação acadêmica e profissional.

Sou formado em Relações Internacionais pelo Centro Universitário Curitiba (Unicuritiba) e quase concluí o curso de História da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Profissionalmente, trabalhei durante dois anos no Departamento de Relações Internacionais da Câmara Americana de Comércio (Amcham), em Curitiba. Além disso, fui monitor de disciplinas de História das Relações Internacionais na universidade e trabalhei como voluntário da COP-8/MOP-3 (8ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica e 3ª Reunião das Partes do Protocolo de Cartagena sobre Biossegurança), conferência da ONU realizada em Curitiba, em 2006.


Como você se preparou para o concurso de admissão à carreira de diplomata?

Comecei a acalentar o sonho de ser diplomata aos meus quinze anos. A escolha dos meus cursos universitários refletiu esse sonho. No entanto, comecei a me engajar, seriamente, nos estudos para o CACD quando estava terminando a faculdade de Relações Internacionais. Meu primeiro CACD eu fiz quando estava no 7º período do curso de RI, para ter uma experiência real da prova. Comecei a estudar "full time" depois que me formei e que deixei o trabalho na Amcham, no início de 2009. Fiquei estudando um ano sozinho, fazendo leituras e fichamentos. Os estudos deram um salto de qualidade com a chegada de um curso preparatório a Curitiba, em 2010, o que foi fundamental para otimizar o meu tempo e criar uma verdadeira disciplina de estudos. Após seguidas tentativas sem êxito de passar no TPS, minha família e eu resolvemos, em meados de 2011, que era chegada a hora de eu me mudar para Brasília para dar o empurrão final na preparação. Foi só sair da zona de conforto que a mágica começou a acontecer: tendo me mudado para Brasília no início de 2012, fui aprovado no TPS daquele ano, pela primeira vez, e fui superando as fases seguintes, até ser aprovado no CACD 2012, dentro das trinta vagas disponíveis.

Se você pudesse voltar no tempo e falar consigo mesmo no passado, que dicas daria para o jovem Bruno, que facilitariam seus estudos?

O que eu recomendaria ao jovem Bruno seria começar os estudos para o CACD mais cedo, ainda durante a faculdade: teria feito meu primeiro CACD no 3º ou no 5º período e começaria a ter contato com a bibliografia do Concurso, a fim de poder contar com a ajuda dos professores e das aulas. Creio que isso encurtaria a trajetória de três anos e meio que tive desde o início dos estudos, no início de 2009, até a aprovação no CACD, em 2012. No entanto, creio que, de forma geral, fiz as escolhas certas e não me arrependo de nada. Analisando toda essa jornada retrospectivamente, vejo que todas as experiências de vida que tive foram importante na minha preparação para o Concurso. Nesse sentido, eu costumo brincar que minha trajetória até a aprovação no CACD foi semelhante à do Jamal, no filme indiano "Quem quer ser um milionário?", película que, aliás, é baseada em um livro escrito por um diplomata indiano.


Após ingressar no Ministério das Relações Exteriores, quais as atividades que desenvolveu? 

Após ser aprovado no CACD, realizei, durante um ano e meio, o curso de formação no Instituto Rio Branco  (IRBr), junto com meus colegas de turma. Em dezembro de  2013, fui lotado na Divisão da África I (DAF-I), que se  ocupa das relações do Brasil com os países da África Ocidental e de parte da África Central. Desde então, tive a oportunidade de trabalhar em eventos como as cerimônias de entrega de cartas credenciais dos Embaixadores estrangeiros à Presidenta da República e a posse da Presidenta Dilma, no começo deste ano. Tive, também, a oportunidade de realizar missões ao exterior: à Líbia e à Guiné Equatorial, no ano passado, para trabalhar como Encarregado de Negócios; e ao Senegal, em agosto deste ano, para preparar a visita do Ministro Mauro Vieira a Dacar.


Você formulou cadernos de resumos sobre as matérias do CACD. Fale um pouco sobre essa iniciativa e sobre os resumos. De que forma eles poderiam ajudar alunos de Relações Internacionais, Direito Internacional e Interessados no concurso para a diplomacia?

A iniciativa surgiu depois de constatar que os cursos preparatórios são, em geral, muito caros e que a maioria  dos candidatos não tem condições financeiras de ter acesso a material específico sobre o Concurso. Foi pensando nisso que tive a ideia de revisar e atualizar os meus cadernos temáticos - desde o começo da minha preparação para o CACD, dividi as anotações em temas -, com o objetivo de tornar o conteúdo o mais didático e visualmente amigável possível. Os cadernos foram concebidos para atender a todos os alunos, desde os iniciantes, que precisam ser introduzidos nos temas, até o avançados, que necessitam de aprofundamento para a Terceira Fase. Como os cadernos estão divididos em temas, as pessoas, independentemente de sua formação acadêmica, podem adquirir, por um preço justo e acessível, os materiais que abordam os seus "pontos fracos". Eu costumo dizer que esses cadernos visam a encurtar o caminho da preparação até a aprovação no CACD, otimizando o tempo de estudo. Foi assim comigo e espero que seja assim com outras pessoas.


Links para os cadernos temáticos preparados pelo Bruno

PI - PEB de Collor a FHC (1990-2002). Clique aqui.

Tudo o que você precisa saber sobre o tema: - Termos-chave para uso no TPS e na Terceira Fase - Destaques para fixar dados que podem ser objeto de "pegadinhas" no TPS - Referências à bibliografia sobre o tema Conteúdo: - Contexto internacional - Introdução à Política Externa Brasileira no pós-Guerra Fria - Governo Fernando Collor (1990-1992) - Governo Itamar Franco (1992-1994) - Governo FHC (1995-2002). Preço: R$ 15,00

PI - PEB de Jânio a Médici (1961-1974). Clique aqui.

Tudo o que você precisa saber sobre o tema: - Termos-chave para uso no TPS e na Terceira Fase - Destaques para fixar dados que podem ser objeto de "pegadinhas" no TPS - Referências à bibliografia sobre o tema Conteúdo: - Política Externa Independente (1961-1964) - Governo Jânio Quadros (1961) - Governo João Goulart (1961-1964) - Governo Castello Branco (1964-1967) - Governo Costa e Silva (1967-1969) - Governo Emílio Garrastazu Médici (1969-1974). Preço: R$ 15,00


PI - PEB de Dutra a JK (1946-1961). Clique aqui.

Anotações derivadas de aulas, leituras, fichamentos sobre o tema "PI - PEB de Dutra a JK (1946-1961)", que consta da ementa de Política Internacional (PI) para a Primeira e a Terceira Fase do Concurso de Admissão à Carreira Diplomática (CACD). Tudo o que você precisa saber sobre o tema: - Termos-chave para uso no TPS e na Terceira Fase - Destaques para fixar dados que podem ser objeto de "pegadinhas" no TPS - Referências à bibliografia sobre o tema Conteúdo: - Introdução e conceitos da Política Externa Brasileira (PEB) - Governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1951) - Governo Getúlio Vargas (1951-1954) - Governo Café Filho (1955) - Governo Juscelino Kubitschek (1956-1961). Preço: R$ 15,00

HG - O bloco socialista e o fim da Guerra Fria. Clique aqui.

Tudo o que você precisa saber sobre o tema: - Termos-chave para uso no TPS e na Terceira Fase - Destaques para fixar dados que podem ser objeto de "pegadinhas" no TPS - Referências à bibliografia sobre o tema Conteúdo: 1.Introdução 2.Revolução Chinesa (1949) A.Antecedentes B.República Chinesa (1911-1949) C.Guerras Civis 3.República Popular Da China (1949) A.Planos Quinquenais B.Grande Salto Para Frente (1958-1960) C.Cisma Sino-Soviético (1958-1962) D.Revolução Cultural (1966-1976) E.Aproximação Com Os Eua (1971-1972) F.Política Das Quatro Modernizações (1979) 4.URSS A.Década De 1920 B.Década De 1930 C.Década De 1940 D.Década De 1950 E.Era Brezhnev (1964-1982) F.Mikhail Gorbachev G.Fim Da Guerra Fria. Preço: R$ 15,00


Pacotão - História da Política Externa Brasileira (1945-2010). Clique aqui.

Aproveite este pacotão promocional! Os cinco cadernos sobre a História da Política Externa Brasileira de 1945 a 2010, com 10% de desconto. Todas as anotações sobre a História da PEB entre 1945 e 2010, derivadas de aulas, leituras, fichamentos, sobre matéria que consta da ementa de Política Internacional (PI) e de História do Brasil (HB) para a Primeira e a Terceira Fase do Concurso de Admissão à Carreira Diplomática (CACD). Tudo o que você precisa saber: - Termos-chave para uso no TPS e na Terceira Fase - Destaques para fixar dados sujeitos a "pegadinhas" no TPS - Referências à bibliografia sobre o tema Conteúdo: - Caderno "PI - PEB de Dutra a JK (1946-1961)" - Caderno "PI - PEB de Jânio a Médici (1961-1974)" - Caderno "PI - PEB de Geisel a Sarney (1974-1990)" - Caderno "PI - PEB de Collor a FHC (1990-2002)" - Caderno "PI - PEB de Lula (2003-2010)". Preço: R$ 67,50



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!