11/11/2015

Trampolim? - Sobre o Concurso para Oficial de Chancelaria




Hoje foi publicada a matéria "Vagas de oficial de chancelaria são vistas como trampolim para candidatos a diplomata". Link para o texto. Ela fala, basicamente, que o concurso para Oficial de Chancelaria seria: 1) uma possibilidade de os cacdistas treinarem para o concurso da diplomacia, 2) um passo rumo à carreira diplomática, já com salário, pois você estaria dentro do MRE.

Tenho uma opinião sobre esse assunto, que pode não ser a mais "aceita" no meio concurseiro de Brasília, mas que entendo ser racional do ponto de vista de economia do Estado e de desenvolvimento profissional: somente façam concursos para os cargos que realmente te interessam.

A explicação é simples: se você for aprovado e tomar posse, você ocupará a vaga de alguém que realmente queria trabalhar naquele cargo e que tinha o perfil para aquela atividade. E mais: você estará insatisfeito no cargo, pois ele não se adéqua aos seus interesses e vocação. Ao sair dele para tomar posse em outro cargo, você cria um desfalque de pessoal na Administração. Esse desfalque pode parecer pequeno, mas não é. Essa vaga aberta (e as de todas as outras de pessoas que fizeram como você) somente será ocupada (caso não haja cadastro de reserva) em novo concurso que sairá sabe Deus* (*ou coloque aqui sua crença) quando. 

Agora vamos ao caso concreto do concurso do MRE: as atividades dos OfChans são diferentes das atividades dos diplomatas pelo simples fato de que são duas carreiras diferentes, apesar de ambas serem de nível superior. 

As provas do exame de admissão também não são iguais: uma tem duas fases e a outra tem quatro; uma abarca cinco matérias, a outra, doze. As matérias em comum são: Português, Inglês e Direito Interno. E só. De resto, tudo é diferente, inclusive as bancas.

Os cursos de formação também são diferentes. Os Oficiais de Chancelaria fazem um Curso de Preparação, de caráter eliminatório e classificatório, realizado pelo Ministério das Relações Exteriores, com duração total de quarenta horas. Os diplomatas fazem o Curso de Formação do Instituto Rio Branco, com até dois anos de duração com quarenta horas semanais de aulas.

As atividades no dia a dia também são diferentes, conforme a Lei nº 11.440, de 29 de dezembro de 2006:
Art. 3º  Aos servidores da Carreira de Diplomata incumbem atividades de natureza diplomática e consular, em seus aspectos específicos de representação, negociação, informação e proteção de interesses brasileiros no campo internacional.
Art. 4º  Aos servidores integrantes da Carreira de Oficial de Chancelaria, de nível superior, incumbem atividades de formulação, implementação e execução dos atos de análise técnica e gestão administrativa necessários ao desenvolvimento da política externa brasileira.
Se você se interessa por ambas carreiras, meu conselho é: vá fundo!
Se você se interessa por somente uma: faça sua opção e estude para o respectivo concurso. 

Sei que existem vários diplomatas que foram OfChans e vários OfChans que foram AChans. Essas foram opções pessoais, diante de diferentes situações pessoais. Fique claro que não os julgo, de formal alguma. Eu já tentei concurso para diplomata e hoje não tento mais, estou seguindo outros caminhos. A vida muda, nós mudamos, prioridades mudam. Enfim... quis dar minha opinião sobre a matéria veiculada hoje.

Um comentário:

Obrigada pelo seu comentário!