01/05/2016

Auxílio Moradia: uma necessidade básica para as famílias - Parte II

Dando continuidade à publicação dos relatos dos familiares e servidores, que teve início no primeiro post da série (link aqui), compartilho com vocês, mais quatro histórias recebidas. 


"O atraso de RF nunca deveria acontecer, independentemente de crise. Esse recurso deve ser provisionado do mesmo modo que os salários são provisionados. Chega a ser desumano. Tenho três filhos, fui removida para uma cidade cara e ainda por cima os gastos com saúde são grandes. Resumo brevemente a minha situação: 15,62% do meu salário são gastos com minha parte nas despesas médicas (20% não reembolsáveis), outros 18,75% com alimentação e 54% com aluguel. O restante, (11,63%) deve ser dividido entre todas as outras despesas básicas como transporte, vestuário, escola, água, luz e telefone. Não conseguimos ter direito a lazer. Corremos o risco de passar por situações constrangedoras. Como trabalhar assim? É o caso de, urgentemente, o MRE ter uma reunião com o Planejamento e STN para já levar em números reais o valor necessário para atualizar os pagamentos e, independentemente de Decreto, pedalas ou seja lá o que for, alguma coisa seja feita. Auxílio moradia afeta diretamente o salário e o não pagamento caracteriza redução salarial. Como já disse antes chega a ser desumano. " 


"Estamos com 3 meses de atraso na RF aqui em Montevidéu e para quem tem filho na escola americana fica muito difícil pagar as contas numa cidade caríssima como essa!"


"Realmente este atraso na RF é complicado, principalmente quando o país é caro e a RF chega a 80% do salário do seu marido. Se os salários estivessem de acordo com o posto talvez fosse fácil fazer o que muitos dizem que seria o correto, que é tirar deste uma porcentagem para o aluguel, mas como isso não é real, nós na prática dependemos todo mês do recebimento da RF. Economias já foram usadas e empréstimos já foram requeridos. Diante dos atrasos do pagamento já fomos solicitados a deixar o imóvel. E hoje tentamos fazer o impossível para permanecer no apartamento."


"Simplesmente nunca mais farei outra missão, principalmente em postos A, sem uma boa poupança em dólar. Se tem um conselho que daria seria: assim que chegar ao posto, faça um empréstimo no valor de pelo menos três aluguéis."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!