15/05/2016

Nossas fantasias na festa do IRBr 2016



Como 2016 foi o ano dos quadrinhos e da Pop Art na Festa à Fantasia do Instituto Rio Branco, decidimos nos vestir como um casal bastante apaixonado (e um pouco louco, também): Arlequina e Coringa, da série de quadrinhos do Batman. As fantasias seguiram a linha do filme que será lançado em agosto deste ano (Suicide Squad), bastante diferentes das roupas tradicionais dos personagens.

Nesta semana, eu aprendi a usar o Tumblr e, para estreá-lo, publiquei o processo de arrumação para a festa na página diplowife.tumblr.com. De qualquer forma, vou explicar como fizemos.

Para fazer o cosplay do Coringa, bastou uma camisa social vinho, uma calça preta, tinta verde especial para cabelo, tinta branca para o rosto e lápis preto para fazer as tatuagens. Foi bem simples.





Já a Arlequina exigiu mais trabalho: eu mesma personalizei um taco de baseball com canetas de marcar cd e fita durex colorida (ela usa um meio "excêntrico" no filme). Precisei buscar na internet fotos das gravações no taco original, para tentar fazer parecido. Para a roupa, tive ajuda de costureiras (que fizeram o short de duas cores e a camiseta) e comprei a jaqueta na Amazon. Precisei de uma peruca, já que não estou mais loira. A maquiagem foi feita com pancake, sombras rosa e azul e lápis preto, para fazer as tatuagens. Os esmaltes eram azul e vermelho, da Risqué. Os acessórios foram emprestados por amigos ou comprados na internet e personalizados por mim. O colar escrito PUDDIN, foi feito com cartolina dourada e fita durex transparente, assim como a pulseira e os anéis.




E como gosto de saber a história (no caso, estória) por de trás dos personagens, fiz um levantamento sobre o Coringa e sobre a Arlequina, que ora compartilho com vocês. E então, gostaram da escolha das fantasias?




Arlequina


"Harleen Quinzel destacou-se durante o período escolar como uma ágil ginasta, o que lhe permitiu obter uma bolsa de estudos para estudar Medicina na Universidade de Arkham. Posteriormente, trabalhou como psiquiatra no Manicômio Arkham, onde conheceu Coringa, seu paciente. Enganada pela história de que ele havia tido uma infância infeliz, Quinzel apaixona-se profundamente. As autoridades suspeitaram que ela tenha sido a responsável por ajudar o Coringa a escapar por diversas vezes do asilo e, por isso, a aprisionaram. 

Durante um terremoto em Gotham City, Quinzel escapa da prisão e transforma-se Harley Quinn, parceira de Coringa no crime. Ajudante, parceira de crime, namorada e eventual empregada doméstica do Príncipe Palhaço do Crime, a bela Harley Quinn está sempre a postos para atender as vontades do seu amado Coringa, e sua devoção ao criminoso chega a tal ponto que ela só chama o sorridente vilão de “Senhor Coringa”, “Senhor C.” ou – pior ainda – “Pudim” ou “Pudinzinho”. O relacionamento entre Coringa e Harley Quinn é um dos mais complexos do Universo DC.

Arlequina não apresenta nenhum poder, porém graças ao soro dado pela Hera Venenosa, sua força e agilidade foram aumentadas significativamente. O soro também lhe deu a capacidade de resistir a maioria das toxinas, incluindo o gás do riso do Coringa e o gás do medo do Espantalho.

Ao contrário do que muitos pensam, Arlequina é muito inteligente e uma ótima estrategista. Arlequina também possui grande conhecimento na área da psiquiatria podendo fazer rápidos diagnósticos de heróis e vilões.

Harley é uma ginasta altamente capacitada o que faz dela uma ótima lutadora. Assim como o Coringa ela se demonstra extremamente violenta e imprevisível em combate, mas por mais que sua imprevisibilidade seja marcante ela tem um estilo de luta bem diferente do de seu "pudinzinho", enquanto o Coringa tem um estilo de luta mais focado e muitas vezes utilizando armas brancas e de fogo, Harley também usa armas porém tem um estilo mais aéreo com acrobacias e chutes altos."
Fonte:  Wikipedia






Coringa


"Coringa (ou Joker) é um supervilão fictício que aparece no squadrinhos norte-americanos publicados pela DC Comics. Foi criado por Jerry Robinson, Bill Finger e Bob Kane e apareceu pela primeira vez em Batman #1 (Abril de 1940). Parcialmente inspirado em Gwynplaine, um dos personagens principais do romance L'Homme qui rit (O Homem que Ri) de Vitor Hugo, os créditos para a criação do Joker são disputados; Kane e Robinson reclamam responsabilidade pelo seu desenho, apesar de reconhecerem a contribuição de Finger na escrita. 

De acordo com o plano inicial, o Joker deveria ter morrido na sua primeira aparição, mas foi poupado por uma intervenção editorial, permitindo assim que o personagem fosse progredindo como o célebre arqui-inimigo do super-herói Batman. Joker também é conhecido por outros nomes, incluindo "Clown Prince of Crime" (Príncipe Palhaço do Crime), o "Jester of Genocide" (Bobo do Genocídio), o "Scourge of Gotham" (Flagelo de Gotham), o "Harlequin of Hate" (Arlequim do Ódio) e o "Ace of Knaves" (Ás de Valetes).

Nas suas aparições nos quadrinhos, o Joker é retratado como um gênio do crime. Introduzido como um psicopata com um sentido de humor sádico e doentio, o personagem tornou-se no final da década de 1950 um ladrão pateta e brincalhão, como resposta à regulação do "Código dos Quadrinhos" (Comics Code Authority), antes de regressar às suas raízes mais negras durante os anos de 1970.

Como o nêmesis de Batman, o Joker tem feito parte de algumas histórias que definem o super-herói, incluindo o assassinato de Jason Todd (o segundo Robin sobre a tutela de Batman) e a paralisia de um dos aliados de Batman, Barbara Gordon. Durante as décadas em que tem aparecido, o Joker tem tido várias histórias sobre a sua origem. A mais comum delas apareceu pela primeira vez em Detective Comics #168 (Fevereiro de 1951), e envolve a sua queda para dentro de um tanque de desperdícios químicos que branqueia a sua pele, torna o seu cabelo verde e os seus lábios vermelhos; o resultado da sua desfiguração leva-o à loucura e adotou o nome "Joker", a partir da figura das cartas de jogo que ele veio a assemelhar-se. Como a antítese da personalidade e da aparência de Batman, o Joker é considerado pelos críticos como o seu adversário perfeito.

O personagem não tem habilidades sobre-humanas, em vez disso, usa a sua experiência em engenharia química para desenvolver misturas tóxicas e/ou letais, bem como armamento temático, incluindo cartas de jogo com pontas cortantes, campainhas de brinquedo mortais e flores de lapela que projetam ácido. Apesar do Joker por vezes trabalhar com outros super-vilões, como o Pinguim e o Two-Face, e em grupos como Injustice Gang e Injustice League, tais relações acabam muitas vezes por entrar em colapso devido ao constante desejo do Joker em procurar o caos desenfreado. 

A década de 1990 introduziu um interesse romântico no Joker na forma da sua ex-psiquiatra, Harley Quinn, que se torna inclusive na sua parceira no crime. Apesar da sua grande obsessão ser o Batman, o Joker já foi adversário de outros heróis como o Superman e a Wonder Woman.

Um dos mais icônicos, se não o mais reconhecido, personagens da cultura popular, o Joker tem sido citado como um dos maiores vilões e personagens de quadrinhos alguma vez criados, e "muito possivelmente mais interessante que o seu homólogo super-herói." 

A enorme popularidade da personagem já o fez aparecer numa grande variedade de produtos, como roupa e objetos de colecionadores, videogames, estruturas reais (como atrações de parques temáticos) e várias outras referencias na media, para além de ser o primeiro vilão a ter a sua própria série de quadrinhos, The Joker (1975-1976). As revistas Wizard e Complex colocaram-no em #1 nas suas listas dos "Melhores Vilões dos quadrinhos". Numa publicação semelhante, o IGN posicionou-o em #2, atrás de Magneto, e a Empire em #8 na sua lista dos "50 Melhores Personagens dos Quadrinhos de Todos os Tempos".

O Joker tem servido como adversário do Batman no cinema, na animação e nos videojogos, incluindo na série de televisão da década de 1960, Batman, (interpretado por Cesar Romero), no cinema por Jack Nicholson em Batman (1989), por Heath Ledger em The Dark Knight (2008) e por Jared Leto em Suicide Squad (2016). Mark Hamill, Michael Emerson, Troy Baker, entre outros, já deram a sua voz ao personagem animado." Fonte: Wikipedia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!